top of page
  • citebonline

Negócios: Santa Catarina fabrica 70% dos iates brasileiros




Para além do belíssimo litoral, Santa Catarina também se destaca nas embarcações de lazer. Atividade essa que ganhou destaque através do programa Pró-Náutica há cerca de 10 anos e hoje comemora os números positivos em todo Estado e investimentos polpudos, inclusive estrangeiros.


Números

De acordo com o site da FIESC, “Hoje, Santa Catarina é responsável por 70% das embarcações de lazer fabricadas no Brasil, e responde por 90% das exportações.”


Para a Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos (Acobar): mais da metade dos 7.500 postos de trabalho do setor no País estão em Santa Catarina. Somente os cinco maiores estaleiros geraram nos últimos cinco anos R$ 700 milhões em impostos, mesmo com o desconto no ICMS catarinense.


Crescimento Durante a Pandemia

Para quem esperava uma crise nos negócios de lazer por conta das restrições e isolamento, os iates se tornaram opções interessantes para quem tem dinheiro suficiente para as aquisições. Tanto que a média de crescimento em vendas foi na ordem de 25% em 2020 e de 20% em 2021, com previsão de 25% para 2022, segundo a Acobar.


Mercado Internacional

A certificação internacional, desenvolvida pela Acobar e ABNT, é essencial para que as embarcações brasileiras sejam competitivas no mercado internacional, como Estados Unidos, Europa, Dubai, Singapura, Austrália e os países Latinoamericanos.


Tecnologia é Essencial

Para a produção continuar competitiva tanto no mercado interno quanto internacional, as fabricantes têm investido constantemente em tecnologia. Conforme matéria de Leo Laps para a Revista Indústria e Competitividade:


  • O estaleiro da Azimut Yachts em Itajaí, único no mundo fora da Itália, também investe para aumentar a produtividade. A unidade vai começar a utilizar em outubro o sistema APS (Advanced Planning and Scheduling) da Siemens, um software com conceitos da Indústria 4.0 que deve integrar e digitalizar todos os processos fabris na unidade;


  • Schaefer Yachts, com unidade em Biguaçu, investiu em tecnologia e maquinário, como a máquina fresadora com CNC (Computer Numeric Control), com cinco eixos e 25 metros de comprimento, garantindo a produção de moldes perfeitos para todos os modelos da marca;


  • Intech Boating e Schaefer dominam o processo de infusão a vácuo para garantir um alto controle de matéria-prima e a diminuição de emissão de solventes na atmosfera.

Cluster Náutico

Diante desse ambiente favorável ao crescimento da indústria náutica, a Marinha do Brasil optou por Santa Catarina com o investimento das Forças Armadas para o Programa Fragatas Classe Tamandaré. “A construção de quatro navios-escolta de alto poder combatente deve absorver recursos de US$ 1,6 bilhão’, diz a matéria. A construção da primeira embarcação já começou e a última unidade deve ser entregue em 2029, contudo espera-se que o projeto se estenda pelo menos por três décadas.





Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page